Abril, mês da Prevenção dos Maus Tratos

Maus-Tratos

Diz respeito a um crime praticado por quem põe em risco a vida ou a saúde de pessoa ou animal que esteja sob a sua dependência, guarda ou confiança, privando-os de liberdades, garantias, alimentos e cuidados indispensáveis, ou exercendo sobre eles qualquer forma de violência (física ou psicológica)

Existe uma multiplicidade de situações que consubstanciam a prática de maus tratos, os quais podem apresentar diferentes formas clínicas, por vezes associadas:

Negligência (inclui abandono e mendicidade): Entende-se por negligência a incapacidade de proporcionar a satisfação de necessidades básicas de higiene, alimentação, afeto, educação e saúde, indispensáveis para o crescimento e desenvolvimento normais.

Mau Trato Físico: O mau trato físico resulta de qualquer ação não acidental, isolada ou repetida, infligida por pais ou cuidadores, a qual provoque (ou possa vir a provocar) dano físico. Este tipo de maus tratos engloba um conjunto diversificado de situações traumáticas.

Mau Trato Psicológico/Emocional: O mau trato psicológico resulta da privação de um ambiente de tranquilidade e de bem-estar afetivo. Engloba diferentes situações, desde a precariedade de cuidados ou de afeição adequados à idade e situação pessoal, até à completa rejeição afetiva, passando pela depreciação permanente.

Abuso Sexual: O abuso sexual corresponde ao envolvimento em atividades cuja finalidade visa a satisfação sexual de outra pessoa.

Fonte: Adaptado da DGS

Prevenção dos Maus-Tratos na Infância

Em 1989, uma mulher norte americana (Bonnie Finney) amarrou uma fita azul na antena do carro, em homenagem ao seu neto, vítima mortal de maus-tratos. Com esse gesto quis “fazer com que as pessoas se questionassem”. A repercussão desta iniciativa foi de tal ordem que abril passou a ser o Mês Internacional da Prevenção dos Maus-Tratos na Infância.

“O Azul funciona para mim como um constante alerta, para lutar pela proteção das crianças”. Bonnie W. Finney

E porquê azul? Porque, apesar do azul ser uma cor bonita, Bonnie Finney não queria esquecer os corpos cheios de nódoas. O azul, que simboliza a cor das lesões, servir-lhe-ia por isso como uma imagem constante na sua luta na proteção das crianças contra os maus-tratos.

Esta campanha, que começou como uma homenagem desta avó aos netos, expandiu-se e, atualmente, muitos países usam as fitas azuis, durante o mês de abril, em memória daqueles que morreram ou são vítimas de abuso infantil e também como forma de apoiar as famílias e fortalecer as comunidades, nos esforços necessários para prevenir o abuso infantil e a negligência.

Em Portugal, a campanha, simbolizada pelo Laço Azul, é amplamente divulgada por todo o território, quer pela Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens, quer pelas CPCJ, que realizam numerosas ações de prevenção contra os maus-tratos.

“Serei o que me deres…que seja amor”, é o Slogan da Comissão Nacional.

Veja aqui os spots televisivos das campanhas de 2019 e de 2020.

Fonte: Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Proteção das Crianças e Jovens

Prevenção dos Maus-Tratos em Idosos

A prevenção para o combate da violência contra a pessoa  idosa requer a distinção de três níveis, nomeadamente: o  primário, o secundário e o terciário (Pillemer, Breckman,  Sweeney, Fulmer, Berman, Brown, Laureano & Lachs, 2011;  Santos & Vieira, 2014).

A prevenção primária é orientada para a população em geral na qual se procura a redução real da incidência, ou seja, da ocorrência de novos casos de violência contra as pessoas  idosas.

A prevenção secundária visa detetar e intervir precocemente nos Indivíduos ou nos grupos da população em elevado risco. Uma vez que o foco da prevenção secundárias é a redução da prevalência, é essencial que os profissionais:

– Estejam sensibilizados para o reconhecimento dos sinais/ indicadores ligados à violência (física, psicológica, financeira, sexual e/ou de negligência). Uma vez detetada uma situação de violência contra a pessoa idosa deve avaliar-se a gravidade a que está sujeita;

– Potenciem uma boa articulação entre os serviços sociais e de saúde. Deve assegurar-se o apoio efetivo das pessoas idosas e da respetiva rede familiar, promovendo a coesão familiar e fornecendo serviços de alívio ao cuidador informal para redução dos níveis de stress.

Por sua vez, a prevenção terciária implica a redução dos efeitos secundários e das sequelas da vitimização. Neste  sentido, é essencial o tratamento e a reabilitação da vítima  de violência, garantindo-se os apoios necessários (médico,  psicológico, social, jurídico e/ou económico).

Saiba mais aqui

Dias Comemorativos:

  • 02 De Abril – Dia da Consciencialização do Autismo;
  • 05 De Abril – Dia Nacional da Artrite Reumatoide;
  • 06 De Abril – Dia Mundial da Atividade Física;
  • 07 De Abril – Dia Mundial da Saúde;
  • 11 De Abril – Dia Mundial da Doença de Parkinson;
  • 16 De Abril – Dia Mundial da Voz;
  • 17 De Abril – Dia Mundial da Hemofilia;
  • 22 De Abril – Dia Mundial da Terra;
  • 23 De Abril – Dia Nacional da Educação de Surdos;
  • 26 De Abril – Dia Internacional do Cão-Guia;
  • 29 De Abril – Dia Mundial da Dança.

Sugestões: