Agenda

Cascais| Semana do Brincar 2020 é online

Importância da brincadeira para a criança. Desafios online até dia 1 de junho
Brincar, brincar, brincar…. Que memórias tem da sua infância? Jogar à apanhada, saltar à corda, ao berlinde, à bola… andar em liberdade, na rua. Hoje, são mais os jogos de consola. Mas a escola, junta amigos para a vida, permitindo haver espaço de brincadeira. E mesmo as férias com os avós, os primos, os irmãos. A aventura… o risco (calculado), a descoberta. Todos estes ingredientes formam, durante anos, o crescimento das crianças.
Pela importância do Brincar na InfânciaCascais assinala, todos os anos, a Semana do Brincar que este ano decorre entre 25 de maio e 1 de junho, Dia Mundial da Criança.
É a brincar que se fortalece a aprendizagem e desenvolvimento das crianças. Sem esquecer a importância dos adultos de dedicarem tempo de qualidade às crianças. E estes tempos que passaram, de confinamento, entre teletrabalho e telescola, ajudou a fortalecer laços, descobrir brincadeiras, mas também refrear birras e amuos, comunicar e essencialmente, ter tempo…
Brincar é um comportamento ancestral e é estruturante. Faz parte do nosso comportamento espontâneo e organizado. Beneficia a criatividade, os planos sensorial, percetivo, social e cognitivo e, essencialmente, beneficia a relação emocional entre as crianças e destas com outras pessoas.
Este ano, ainda em fase de desconfinamento, o programa da Semana do Brincar acontece nas redes sociais. Siga o  (Facebook CM Cascais e o Instagram Cascais_oficial e aproveite para brincar connosco. Participe! Vai ver que não se arrepende.
BENEFÍCIOS DO BRINCAR
A brincar, a criança não está apenas a entreter-se ou a divertir-se. Está também a melhorar a sua estrutura, funções do cérebro e o seu processo de aprendizagem. De acordo com vários estudos, os benefícios do brincar revelam-se tanto a nível emocional como cognitivo. Daí a sua importância na vida dos mais pequenos. E os pais devem também participar nas brincadeiras dos filhos. Deste modo, não só aumenta a sua ligação afetiva, como crescem na criança interesse e motivação, enquanto desenvolve várias capacidades. Reveja também aqui a entrevista do Professor Catedrático, investigador na Faculdade de Motricidade Humana, Carlos Neto, que fala da importância de tirar as crianças do sofá.
Resumimos algumas vantagens:
Estimula a criatividade e a imaginação | Ler, brincar com bonecas ou montar um brinquedo, fazer um jogo é um desafio para a criatividade e imaginação da criança.
Permite um melhor auto-conhecimento | Brincar num ambiente seguro é essencial. Mas, e para temor de alguns pais, também é importante que a criança tenha liberdade para descobrir o mundo a andar, a correr, a desequilibrar-se ou mesmo a cair. Assim, ela conhece melhor o seu corpo e entende quais são os seus limites.
Ensina a negociar | “Ter jogo de cintura”. É essencial ao longo da vida e em diversas situações. Ao brincar com os colegas, existe, quase sempre, a necessidade de resolver problemas, como, por exemplo, na definição das regras de um novo jogo. E isso implica negociação e ajustes para que seja bom para todos. E também desenvolve o raciocínio com a resolução de problemas, enigmas. Encontrar soluções a brincar e a negociar.
Promove a interação social |A importância de brincar com outras crianças ou com adultos é que promovem a interação social. Em tempos de COVID-19, as brincadeiras e os encontros com os amigos e familiares, na escola ou no parque, nos almoços de família, foram interrompidos, mas as novas tecnologias permitiram alguns encontros virtuais. Agora, estamos a voltar com precaução. E voltaremos em força.
Ensina a lidar com a frustração | A importância de brincar é que, ao fazê-lo, a criança não só se diverte como vai ganhando capacidades emocionais. Lidar com o “mau-perder” ou com um grupo de amigos não quer jogar àquilo que sugeriu. Estas são situações que a criança tem de saber lidar – a frustração que daí resulta. Aqui o adaptar das circunstâncias é o mais importante. E só o consegue se se ajustar às circunstâncias. A ser resiliente.